Promoção!

Dogoteka Dia Giar®

52,45 44,59

Categorias: , Etiqueta:

Nova alimentação complementar, para cães e gatos, projetada para o bem-estar intestinal.
A sua fórmula, rica em óleos essenciais associados a extratos naturais, contribui para a manutenção da saúde intestinal fisiológica graças às suas funções anti-sépticas, antidispépticas e antioxidantes.
 

ADEQUADO PARA
  • Bem-estar intestinal do cão
  • Indicado em infestações por Giardia canis. Nova alimentação complementar, para cães e gatos, projetada para o bem-estar intestinal.

Descrição

Nova alimentação complementar, para cães e gatos, projetada para o bem-estar intestinal.
A sua fórmula, rica em óleos essenciais associados a extratos naturais, contribui para a manutenção da saúde intestinal fisiológica graças às suas funções anti-sépticas, antidispépticas e antioxidantes.
 

ADEQUADO PARA
  • Bem-estar intestinal do cão
  • Indicado em infestações por Giardia canis. Nova alimentação complementar, para cães e gatos, projetada para o bem-estar intestinal.

 

Nota: Os produtos da marca Dogoteka são enviados até 5 dias úteis.

Composição

por 1 comprimido de 900 mg
Mistura de óleos essenciais80,5 mg
Canela29 mg
Árvore do chá22,1 mg
Alho9,8 mg
Lavanda9,7 mg
Hortelã9,7 mg
Pimenta (Piper nigrum) tit. 95%3 mg
Sementes de Abóbora d.e.125 mg
Mástique de Quios75 mg
Apicultura por Produtos75 mg
Vitamina E (acetato) 50%5 mg

Substâncias Activas

ÓLEOS ESSENCIAIS

também chamados de óleos etéricos, são orgânicos, substâncias muito odoríferas obtidas por extração (geralmente por destilação) de ervas e ervas oficinais, os chamados “aromáticos”. Uma vez extraídos, eles aparecem como substâncias oleosas, líquidas, voláteis e perfumadas, como a planta de onde vêm. Apesar de serem chamados de “óleos”, eles têm uma estrutura molecular muito diferente dos óleos vegetais típicos da cozinha.

São substâncias de composição complexa, que representam a parte mais régia da planta, presentes na forma de minúsculas gotículas nas pétalas das flores, na casca dos frutos, na resina, na casca das árvores e nas raízes das plantas. plantas. A quantidade contida num vegetal depende da espécie, do clima e do tipo de solo. Farmacologicamente falando, os óleos essenciais têm uma função puramente bactericida: têm a capacidade de matar germes1.

Para esta ação, os OE são divididos em: essências germicidas principais – com uma ação antibacteriana notável e constante (por exemplo, salgados, canela, tomilho); essências germicidas médias – com ação antibacteriana variável (por exemplo, pinheiro, eucalipto, lavanda, gerânio); essências germicidas do solo – a ação germicida depende do solo em que o germe se desenvolve.

Eles também desempenham uma função antiviral, antioxidante, espasmótica e sedativa. Portanto, tendo uma forte ação bactericida, é estabelecido um Índice Aromático para os óleos essenciais; estabelece o poder de sua ação germicida. O valor está entre 0 e 1, quanto mais próximo de 1 e maior sua potência. O valor de AG é atribuído através do estudo de um aromatograma (que relaciona o halo de inibição do OE em questão com o halo de um OE com poder bactericida máximo).

ÓLEO ESSENCIAL DE CANELA

O óleo essencial de canela é derivado de Cinnamomum zeylanicum, uma planta da família Lauraceae; é extraído das folhas por destilação a vapor, obtendo um líquido amarelo escuro com uma fragrância picante e doce.

Os principais componentes são: trans-cinnamaldeído, cinnamil aldeído, benzaldeído, feniletanol, borneol, eugenol, cumarina e ácido cinâmico. Dependendo da matéria-prima (folhas ou casca) da qual o óleo essencial foi obtido, a relação entre os dois componentes principais – eugenol e cinamaldeído – difere significativamente. Nesse caso, o óleo obtido das folhas é rico em eugenol (10-95%) e pobre em cinnamil aldeído (1-5%).

Foi demonstrado em vários estudos que o óleo essencial de canela possui propriedades antimicrobianas contra bactérias, leveduras e bolores. Sua administração, dentro de alimentos para animais e suplementos, é segura, pois é classificada como uma substância “GRAS” (geralmente reconhecida como segura – uma substância geralmente reconhecida como segura). Portanto, apresenta propriedades anti-sépticas, exercendo uma poderosa ação antibacteriana de amplo espectro; de fato, para uso interno, é útil no caso de micose2, enterocolite fermentativa3, diarréia causada por infecções intestinais e parasitas.

ÓLEO ESSENCIAL DA ÁRVORE DE CHÁ

O óleo essencial de tea tree, conhecido como óleo de tea tree, de cor amarelo pálido, é derivado das folhas de Melaleuca alternifolia, uma planta da família Mirtaceae. É um composto conhecido por seus usos medicinais e cosméticos, devido às suas propriedades anti-sépticas, antifúngicas e antivirais4. Este arbusto cresce exclusivamente na costa australiana, ao lado dos espelhos d’água.

O nome Melaleuca deriva do grego mèlas – preto e leukòs – branco, do contraste entre o verde escuro das folhas e o branco da casca. Foi definido pelos aborígines como “o curador mais versátil da natureza”; de fato, o óleo, originalmente derivado das folhas esmagadas, era usado pelas tribos indígenas australianas como agente de aromaterapia para tratar infecções. Quimicamente, o óleo é composto principalmente de hidrocarbonetos terpenos (especialmente monoterpenos) e sesquiterpenos, que têm a característica de serem voláteis e aromáticos, além de álcoois associados.

A composição do óleo, para que possa ser considerado óleo de tea tree, foi regulamentada em 1996 pela Organização Internacional de Normalização (ISO); uma vez que, embora o óleo contenha mais de 100 compostos, a ISO especifica que os 15 primeiros (como, por exemplo, terpineno-4-ol, α e γ-terpineno, 1,8-cineol, α-pineno, limoneno) eles são os necessários para a atribuição do nome “óleo da árvore do chá”. Quanto a toda a classe de óleos essenciais, para a árvore do chá, a atividade antimicrobiana5 é atribuída principalmente ao teor de terpineno-4-ol; isto é devido à capacidade de desnaturar as proteínas da membrana citoplasmática dos microorganismos.

ÓLEO ESSENCIAL DO ALHO

O alho (Allium sativum L.), uma espécie da família Alliaceae, é nativo da Ásia Central. Os bulbos contêm alliin, um composto sulfóxido, que confere o aroma e sabor característicos dos bulbos. O alho fresco e seu óleo essencial são aplicados na indústria de alimentos como antimicrobianos naturais, sabores e agentes antioxidantes. O óleo essencial, obtido por destilação, contém acima de tudo: trissulfeto de dimetil, dissulfeto de dialil, sulfeto de dialil, tetrassulfeto de dialil, 3-vinil- [4H] -1,2 -ditiina, dissulfeto de alila e trissulfeto de metil alil. A característica antimicrobiana6 do óleo provém dos diferentes derivados de sulfeto de dialil contidos nele; esses derivados são formados como produtos da transformação da alicina pelo efeito do calor, durante a destilação. De fato, em compostos de enxofre, um número maior de átomos de enxofre resulta em maior atividade antimicrobiana; isso explica o bom efeito antimicrobiano do alho7.

ÓLEO ESSENCIAL DE LAVANDA

óleo essencial obtido por destilação a partir dos topos floridos da Lavandula angustifolia, uma planta da família Labiate. A lavanda é um dos óleos essenciais mais populares e usados; existem muitas espécies botânicas correspondentes ao gênero Lavandula, mas apenas algumas podem ser consideradas “medicinais”: Lavandula angustifolia, conhecida como lavanda inglesa; L. stoechas, conhecida como lavanda francesa; L. latifolia, uma lavanda do Mediterrâneo; e L. intermedia, que é um cruzamento entre duas espécies. As várias lavanda têm usos tradicionais quase idênticos e uma grande similaridade entre os principais constituintes químicos, incluindo: acetato de linalil, linalol, β-cariofileno, trans-β-ocimeno, cis-β-ocimeno, cis-β-ocimeno, acetato de lavandulil e terpinen-4-ol. Linalol e acetato de linalil são os compostos mais presentes e é a eles que são atribuídas a maioria das propriedades típicas do óleo essencial. Apresenta antibacteriano, antifúngico, carminativo (relaxamento do músculo liso gastrointestinal), anti-inflamatório8, sedativo e parece que, topicamente, é eficaz em queimaduras e picadas de insetos.

ÓLEO ESSENCIAL DE HORTELÃ

obtido por destilação a vapor da Mentha piperita, uma planta da família Lamiaceae. É um óleo essencial particularmente rico em mentol (característica do monoterpeno da planta), com pequenas quantidades de sesquiterpenos; consistindo principalmente de: mentol (38,45%), menton, 1,8-cineol e neo-mentol. Ele executa várias ações benéficas, incluindo: ação estomacal, carminativa, colagoga e antiespasmódica; útil, de fato, no caso de meteorismo, flatulência, indigestão, colite, diarréia, espasmos, dispepsias e, mais geralmente, para os distúrbios relacionados ao sistema digestivo. É um excelente antibacteriano; como em outros óleos essenciais, possui propriedades bactericidas particularmente eficazes, especialmente na neutralização de várias cepas bacterianas, contra o estafilococo e o proteus vulgar, que causam enterocolite e infecções do trato urinário. Antioxidante e, além disso, é considerado um excelente remédio no caso de vermes intestinais, pois, em pouco tempo, favorece a expulsão natural de parasitas.

VITAMINAS

As vitaminas são biorreguladores de grande importância, pois, juntamente com os hormônios, governam todos os processos fisiológicos, direta e indiretamente, por meio de mecanismos enzimáticos. Com base na solubilidade, são classificados como solúveis em gordura (armazenados no fígado, representam uma reserva para o corpo), que se dissolvem em gorduras e em solventes apolares, e solúveis em água (não são acumulados no corpo, portanto, são essencial introduzi-los diariamente através da dieta) que se dissolvem na água e nos solventes polares. Todas as vitaminas são responsáveis por tarefas específicas e sua falta pode causar mau funcionamento e / ou disfunção no organismo.

VITAMINA E

vitamina lipossolúvel (α-tocoferol), muito comum no mundo vegetal; enquanto que, nos tecidos animais, a vitamina E está contida em pequenas doses. É o mais difundido e comum entre as vitaminas e possui propriedades antioxidantes, combate os radicais livres e promove a renovação celular. De fato, é considerado o antioxidante fisiológico “por excelência” que protege a vitamina A e os ácidos graxos saturados e insaturados dos fenômenos de auto-oxidação. Esta vitamina também participa de síntese e processos metabólicos; possui propriedades surfactantes e é essencial para a gênese de muitas enzimas e coenzimas, para a síntese de ácido ascórbico e ácidos nucleicos. Também é capaz de aumentar a tolerância do organismo a substâncias tóxicas.

EXTRATOS VEGETAIS

Atualmente, ervas e plantas oficinais são usadas para preservar o bem-estar de humanos e animais; eles podem ser usados como estão na cozinha, como especiarias; na preparação de chás de ervas, ou trabalhou com procedimentos específicos para a produção de suplementos alimentares, veterinários, cosméticos e outros produtos. Para cada planta oficinal, a parte usada (folhas, flores, sementes, casca, raízes etc.) é chamada de “droga”. A droga contém o fitocomplexo, ou seja, o conjunto de ingredientes ativos que caracterizam as propriedades da planta, que não podem ser reproduzidas por síntese química. O trabalho sinérgico dos princípios ativos do fitocomplexo garante à planta uma série de ações contemporâneas, que o componente individual não possui.

PIMENTA

A partir de um processamento específico dos frutos (os grãos são colhidos pouco antes de atingirem a maturidade, são deixados para fermentar e secar, até assumirem a característica aparência murcha e preta) do Piper nigrum, uma planta da família Piperaceae nativa da Índia, é obtida pimenta preta, um tempero amplamente utilizado e conhecido. A substância quimicamente ativa e mais importante do tempero é a piperina, um alcalóide que faz da pimenta um excelente estimulante, tônico, estomacal e, ao estimular a secreção de sucos gástricos, facilita o processo digestivo, facilitando a absorção de nutrientes (útil para extrair os nutrientes). benefício máximo da ingestão de alimentos). Ele também contém muitos sais minerais como potássio, cálcio, magnésio, fósforo, ferro, manganês, zinco, cobre, selênio e iodo e vitaminas como E, A e alguns do grupo B. Numerosas espécies de Piper também são usadas para tratamento de doenças parasitárias e como antibacteriano9.

SEMENTES DE ABÓBORA

sementes de abóbora, recolhidas em algumas plantas da família Curcubitaceae, são importantes por suas propriedades de vermífugo. São compostos de gorduras (cerca de 40-50%) contendo ácidos graxos essenciais, como o ácido alfa linoléico (ômega-6); de carboidratos (24%) e de proteínas (30-37%), com a presença de todos os 9 aminoácidos essenciais. A fração lipídica das sementes também contém altas concentrações de componentes bioativos, tais como: fitoesteróis, carotenóides, tocoferóis e compostos fenólicos; eles têm atividade antioxidante e desempenham papel importante na redução da peroxidação lipídica e na manutenção do bem-estar imunológico fisiológico10. Além disso, eles são ricos em microelementos essenciais, como K, Na, Cr, Mg, Zn, Cu, Mo e Se. O conteúdo de vitamina E também é muito alto, mas acima de tudo da cucurbitina, um aminoácido precioso com propriedades curativas, anti-inflamatórias e principalmente vermífugas. A ação efetiva do vermífugo é realizada levando ao destacamento de parasitas das paredes intestinais, facilitando sua expulsão natural.

MÁTICO DE QUIOS

É uma oleo-resina obtida a partir do exsudato natural da planta de Lentisco, Pistacia Lentiscus, pertencente à família Anacardiacee. Por incisão na casca é possível, durante o período balsâmico (primavera), recolher a secreção, que coagula em nós ou lágrimas, transparentes e amarelas, com um cheiro balsâmico característico e um sabor amargo e azedo. A resina contém principalmente óleo essencial (contendo: alfa-pineno, beta-pineno, beta-mirceno), uma substância amarga ‘masticina’, taninos, ácido masticônico, masticorresinas, ácido masticínico e álcool triterpeno. Possui propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas e antioxidantes11. É anti-inflamatório: a resina mastique é usada para aliviar a inflamação do trato gástrico e proteger as células do estômago. Anti-séptico útil: desempenha uma ação desinfetante e antibacteriana, útil para distúrbios, especialmente da cavidade oral. Finalmente, antioxidante, graças à presença de monoterpenos que exercem sua ação como eliminador de radicais livres.

APICULTURA POR PRODUTOS

os vários produtos da colméia, resultantes do trabalho das abelhas, geralmente incluem: mel, própolis, pólen, geléia real e ceras. São várias substâncias que geralmente têm origem vegetal; alguns deles são então enriquecidos pelos vários processos de trabalho, ou mesmo digestão de abelhas (por exemplo, própolis). As atividades biológicas, reconhecidas pelos produtos apícolas, são atribuídas principalmente ao importante conteúdo de compostos fenólicos (principalmente flavonóides). Os compostos fenólicos, nas suas diversas formas, são os principais componentes responsáveis pelas propriedades funcionais associadas a muitos alimentos, como efeitos antioxidantes, antibacterianos, antivirais, anti-inflamatórios e cardio-protetores. Entre esses alimentos, podemos incluir produtos de colméia, pois contêm compostos fenólicos recolhidos pelas abelhas das plantas das quais eles recolheram néctar12.

Bibliografia:
*1 Essential Oils as Antimicrobial Agents-Myth or Real Alternative? – Molecules – 5 June 2019, Volume 24. Author: Katarzyna Wińska, Wanda Mączka, Jacek Łyczko, Małgorzata Grabarczyk, Anna Czubaszek, Antoni Szumny. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6612361/
*2 Comparison of antifungal activity of essential oils from different plants against three fungi. – Food and Chemical Toxicology – December 2019, Volume 134. Author: Fei Hu, Xiao-Fang Tu, Kiran Thakur, Fan Hu, Xiao-Li Li, Ying-Shuo Zhang, Jian-Guo Zhang, Zhao-Jun Wei. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31533060
*3 Effect of cinnamon essential oil on gut microbiota in the mouse model of dextran sulfate sodium-induced colitis. – Microbiology and Immunology – 09 October 2019. Author: Ai‐li Li, Wei‐wei Ni, Qi‐min Zhang, Ying Li, Xin Zhang, Hong‐ yan Wu, Peng Du, Jun‐cai Hou, Yun Zhang. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31595527
*4 Melaleuca alternifolia (Tea Tree) Oil: a Review of Antimicrobial and Other Medicinal Properties. – Clinical microbiology reviews – January 2006 – Volume 19, pp 50-62. Author: Carson C.F., Hammer K.A., Riley T.V. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1360273/
*5 A comparative study of antibacterial and anti-inflammatory effects of mouthrinse containing tea tree oil. – ORAL & implantology – April 2017, Volume 10, pp 59-70. Author: C. Salvatori, L. Barchi, F. Guzzo, M. Gargari. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5516420/
*6 Insecticidal activity of garlic essential oil and their constituents against the mealworm beetle, Tenebrio molitor Linnaeus. – Scientific reports – April 2017, Volume 7. Author: Plata-Rueda A, Martínez LC, Santos MHD, Fernandes FL, Wilcken CF, Soares MA, Serrão JE, Zanuncio JC. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5397855/
*7 Chemical Composition, Antibacterial and Antioxidant Activities of Six Essentials Oils from the Alliaceae Family. – Molecules – December 2014, Volume 19. Author: : Mnayer D, Fabiano-Tixier AS, Petitcolas E, Hamieh T, Nehme N, Ferrant C, Fernandez X, Chemat F. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6271055/
*8 Effect of Lavender (Lavandula angustifolia) Essential Oil on Acute Inflammatory Response. – Evidence-based complementary and alternative medicine – March 2018. Author: Cardia, Gabriel Fernando Esteves et al. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5878871/
*9 Piper Species: A Comprehensive Review on Their Phytochemistry, Biological Activities and Applications. – Molecules – April 2019, Volume 24. Author: Salehi B, Zakaria ZA, Gyawali R, Ibrahim SA, Rajkovic J, Shinwari ZK, Khan T, Sharifi-Rad J, Ozleyen A, Turkdonmez E, Valussi M, Tumer TB, Monzote Fidalgo L, Martorell M, Setzer WN. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6479398/#B22-molecules-24-01364
*10 Medicinal bioactivites and allergenic properties of pumpkin seeds: review upon a pediatric food anaphylaxis case report. – European Annals Allergy and Clinical Immunology. – November 2017, Volume 49, pp 244-251. Author: C.Chatain, I.Pin, P.Pralong, J.P.Jacquier, M.T.Leccia. Link: http://www.eurannallergyimm.com/cont/journals- articles/522/volume-medicinal-bioactivites-allergenic-properties-pumpkin-1433allasp1.pdf
*11 Antioxidant and Anti-Inflammatory Properties of Mastiha: A Review of Preclinical and Clinical Studies. – Antioxidants – July 2019, Volume 5. Author: Papada E, Kaliora AC. Link: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6681034/
*12 Functional Properties of Honey, Propolis, and Royal Jelly. – Journal of Food Science. – November 2008, Volume 73, pp R117-R124. Author: M. Viuda‐Martos, Y. Ruiz‐Navajas, J. Fernández‐López, J.A. Pérez‐Álvarez. Link: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/j.1750-3841.2008.00966.x

Instruções de Utilização

Comprimidos de 900 mg
Gatos1/4 comprimido por dia
Cães entre 5 e 10 kg1/2 comprimido por dia
Cães de 10 a 20 kg1 comprimido por dia
Cães de 20 a 30 kg2 comprimidos por dia
Cães de 30 a 40 kg2 e 1/2 comprimidos por dia
Cães com mais de 40 kg3 comprimido por dia
Embalagem:

60 comprimidos de 900 mg.
Uma possível variação de cor é uma característica típica da formulação e correlacionada com a presença de derivados de plantas.

Instruções de utilização:

Administre o número de comprimidos juntamente com a ração diária ou diretamente na boca do animal. Complete a ração diária com a comida habitual. Deixe sempre água fresca disponível.

0

Comece a escrever e pressione Enter para pesquisar